abr 26
Distúrbios do Sono – Insônia
icon1 admin | icon2 Sono | icon4 04 26th, 2012| icon3Comentários desativados

Embora a insônia seja classificada como um transtorno secundário do sono, a fadiga e o sofrimento que causa estão no mesmo nível que os transtornos primários. A insônia, um termo amplo que abrange muitas formas diferentes de dificuldades para dormir, tem uma série de causas e pode estar relacionada a outros problemas de saúde.

Os problemas do sono podem tornar as horas insuportáveis para quem tem o problema. Se você estiver se sentido cansado, use as informações desse artigo, junto com os conselhos de seu médico, para determinar o problema.

Saiba mais »

abr 24

Os terrores noturnos (também chamados de terrores do sono) são momentos assustadores em que a pessoa grita, chora e até pula da cama quando ainda está totalmente adormecida. Esses episódios podem ser muito desagradáveis para as pessoas que estiverem próximas e podem até resultar em ferimento em alguém. A pessoa pode acordar somente depois de ter ocorrido o incidente e não se lembrar de nada.

Você pode lembrar que, no sono não-REM, os movimentos físicos não são limitados como no sono REM. Como o sonambulismo e os terrores noturnos ocorrem durante o sono NREM, a pessoa pode se movimentar livremente enquanto está tecnicamente dormindo. Os terrores noturnos geralmente são confundidos com pesadelos, mas não são a mesma coisa (veja o box abaixo).

Aproximadamente, 3% dos adultos e 15% das crianças e adolescentes têm terrores noturnos. Acredita-se que os terrores noturnos ocorrem quando há uma interrupção no sistema nervoso, freqüentemente causada por estresse, privação do sono ou quando se dorme em um ambiente estranho.

Alguns especialistas do sono acreditam que o sonambulismo e os terrores noturnos são duas manifestações do mesmo transtorno, sendo o sonambulismo a forma mais moderada, e os terrores noturnos, a mais grave. Nas crianças, esse transtorno normalmente desaparece quando crescem. O tratamento para terrores noturnos em adultos pode incluir as mesmas abordagens usadas para adultos sonâmbulos: medicamentos controlados, hipnoterapia, psicoterapia e técnicas de controle do estresse.

Embora os terrores noturnos possam interromper o sono, algumas pessoas têm mesmo dificuldade para pegar no sono. Na próxima seção, você verá os vários tipos de insônia.


TERRORES NOTURNOS X PESADELOS

Os terrores noturnos ocorrem no sono não-REM, enquanto os pesadelos (também chamados de ataques de ansiedade no sonho) ocorrem no REM. Você deve lembrar que os sonhos só ocorrem no sono REM e, quando você está sonhando, seu corpo é fisicamente incapaz de se mover.

Assim, se você estiver tendo um pesadelo, não irá conseguir pegar aquele taco de baseball no armário do quarto para afastar seus agressores imaginários. O ato de sair da cama ou gritar ou chorar durante o sono tem mais chances de ser terror noturno do que pesadelo.

abr 20

O seu cônjuge já reclamou que você mexe repentinamente as pernas enquanto dorme? Uma causa possível é que você pode estar sonhando que vai marcar aquele gol decisivo em uma partida de futebol da Copa do Mundo, mas o mais provável é que você tenha o transtorno dos movimentos periódicos dos membros (DMPM).

Certamente, o diagnóstico de DMPM não é tão excitante quanto ganhar a Copa do Mundo, mas, pelo menos, seu cônjuge poderá ter uma noite de sono melhor se você tratar o problema. E você também terá melhores noites de sono.

Os movimentos involuntários do DMPM podem ocorrer a cada 10 a 60 segundos e normalmente acontecem na primeira metade da noite durante o sono NREM. Os movimentos em si não são perigosos (exceto talvez para seu cônjuge). A principal desvantagem é acordar freqüentemente, o que leva à fadiga durante o dia. Cerca de uma em três pessoas acima de 60 anos tem DMPM. O tratamento é o mesmo da síndrome das pernas inquietas.

Se os movimentos de seus membros tiram você da cama e o levam a andar pela casa, você pode estar com sonambulismo. Aprenda sobre esse transtorno na próxima seção.

DISTÚRBIO DOS MOVIMENTOS PERIÓDICOS DOS MEMBROS (DMPM)

O seu cônjuge já reclamou que você mexe repentinamente as pernas enquanto dorme? Uma causa possível é que você pode estar sonhando que vai marcar aquele gol decisivo em uma partida de futebol da Copa do Mundo, mas o mais provável é que você tenha o transtorno dos movimentos periódicos dos membros (DMPM).

Certamente, o diagnóstico de DMPM não é tão excitante quanto ganhar a Copa do Mundo, mas, pelo menos, seu cônjuge poderá ter uma noite de sono melhor se você tratar o problema. E você também terá melhores noites de sono.

Os movimentos involuntários do DMPM podem ocorrer a cada 10 a 60 segundos e normalmente acontecem na primeira metade da noite durante o sono NREM. Os movimentos em si não são perigosos (exceto talvez para seu cônjuge). A principal desvantagem é acordar freqüentemente, o que leva à fadiga durante o dia. Cerca de uma em três pessoas acima de 60 anos tem DMPM. O tratamento é o mesmo da síndrome das pernas inquietas.

Se os movimentos de seus membros tiram você da cama e o levam a andar pela casa, você pode estar com sonambulismo.

abr 18

As pessoas que sofrem da síndrome das pernas inquietas (SPI) têm uma sensação de desconforto (arrepio, queimação, coceira ou picada) nas pernas quando estão descansando por longos períodos, especialmente à noite. Os movimentos involuntários das pernas acabam interferindo no sono.

O que você pensaria se alguém dissesse que tem a sensação de que há algum besourinho andando pelos músculos das pernas enquanto tenta dormir? Essa sensação pode estar relacionada à síndrome das pernas inquietas (SPI).

Mexer as pernas parece ajudar a aliviar o desconforto, mas isso freqüentemente acorda a pessoa. E isso, é claro, acaba levando à fadiga durante o dia.

Dos 12 milhões de norte-americanos com SPI, a maioria são adultos de meia idade, embora esse transtorno possa ocorrer em qualquer faixa etária. Também se pode suspeitar da SPI nos casos descritos a seguir. crianças que têm “dores do crescimento”, ou as hiperativas;

  • gestantes, especialmente as que estão no último trimestre;
  • pessoas com histórico familiar de SPI;
  • pessoas com deficiência de ferro;
  • pessoas com anemia, diabetes, insuficiência renal ou artrite reumatóide.

A melhora da SPI pode ocorrer com exercícios regulares e redução do consumo de cafeína. Mais freqüentemente, a SPI é tratada com medicamentos controlados e técnicas de relaxamento.

abr 17

Para muitas pessoas, o sonambulismo invoca a cena de algum filme de Hollywood, onde o sonâmbulo, de olhos vidrados e braços estendidos para frente, caminha ereto, como um monstro, sem noção de suas ações.

Embora o filme dramatize o transtorno real do sonambulismo, algumas características coincidem. Por exemplo, os sonâmbulos parecem acordados (seus olhos ficam abertos), mas estão na fase mais profunda do sono (quarto estágio). Eles podem andar por entre os móveis e objetos e, em alguns casos, até executarem tarefas básicas, como abrir portas. E podem resistir se forem impedidos.

Pesquisadores acreditam que o sonambulismo tem uma ligação genética e resulta de um desenvolvimento incompleto do cérebro em certos indivíduos. Estresse, febre, privação do sono e epilepsia são causas conhecidas de sonambulismo. O sonambulismo parece ser mais comum entre crianças. Aproximadamente, de 10 a 15% das crianças com idade entre 5 e 12 anos têm pelo menos um episódio de sonambulismo na vida.

Na maioria dos casos, o sonambulismo desaparece após a adolescência. O tratamento para crianças mais velhas e adultos pode incluir uma variedade de medicamentos, bem como hipnoterapia. Adultos sonâmbulos podem estar sofrendo de transtorno de estresse pós-traumático ou outra doença psiquiátrica que pode necessitar de tratamento com medicamentos controlados, hipnoterapia, técnicas de controle do estresse e psicoterapia.

Como o sonambulismo, o terror noturno também atormenta as pessoas quando estão completamente adormecidas. Saiba o que é esse problema e como ele se diferencia dos pesadelos na próxima seção.